Greve Geral: Sindsemp/MA participa da luta contra a Reforma da Previdência

As ações da Greve Geral foram realizadas durante todo o dia de hoje e reuniram trabalhadores e estudantes. (Fotos: Letícia Maciel)

Nesta sexta-feira (14), o Sindsemp/MA esteve presente nas ações de luta da Greve Geral da Classe Trabalhadora, contra a Reforma da Previdência e contra os cortes na Educação propostos pelo governo Bolsonaro. Os protestos têm reunido trabalhadores e estudantes em todo o país, em defesa dos seus direitos.

Em São Luís, as atividades da Greve Geral tiveram início na manhã de hoje, com manifestações realizadas no Bacanga e na Vila Itamar (Km 02), às 5h. Durante a tarde, os manifestantes reuniram-se em ato público, na Praça Deodoro, como forma de chamar a atenção da população para os ataques do governo à aposentadoria e à educação pública.

A participação do Sindsemp/MA segue deliberação feita pelos servidores na Assembleia Geral do dia 30 de março, de acompanhar a agenda de lutas da Associação Nacional dos Servidores do Ministério Público (Ansemp) e Federação Nacional dos Servidores dos Ministérios Públicos Estaduais (Fenamp).

Diversas categorias de trabalhadores uniram forças contra a Reforma da Previdência.

Além do Sindsemp/MA, participaram da mobilização entidades como o 
Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal e MPU no Maranhão (Sintrajufe-MA), Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB-MA), Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipal do Maranhão (Sinproesemma), 
Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência do Estado do Maranhão (Sintsprev-MA), Sindicato dos Trabalhadores em Educação de 3º Grau no Estado do Maranhão (Sintema), Associação dos Professores da Universidade Federal do Maranhão (Apruma), União Estadual por Moradia Popular, dentre muitas outras em defesa dos direitos dos trabalhadores e dos direitos dos estudantes.

Reforma da Previdência – As mobilizações nacionais protestam contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, que tramita no Congresso Nacional. A PEC altera o sistema previdenciário, ampliando o tempo de contribuição e reduzindo direitos garantidos.

Um dos pontos que ameaçam os direitos dos trabalhadores é a possibilidade de mudança do regime previdenciário, que atualmente é de repartição – os trabalhadores ativos pagam a aposentadoria dos trabalhadores inativos – para o sistema de capitalização, em que o trabalhador contribui para sua própria aposentadoria durante os anos de trabalho, poupando em uma conta individual, administrada por financeiras privadas. A transição de um modelo para o outro pode gerar altos custos, além de deixar desamparadas as classes mais pobres.

Verifique também

Convocação – Assembleia Geral Extraordinária

O Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado do Maranhão – SINDSEMP/MA convoca, conforme …

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.