Sindsemp/MA e Fenamp participam de ato em defesa da Justiça do Trabalho

Nesta sexta-feira (31), o Sindsemp/MA e a Fenamp uniram-se a entidades sindicais e autoridades em ato público em defesa da Justiça do Trabalho. A mobilização foi realizada na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e faz parte da agenda nacional de protestos contra a Reforma Trabalhista, o projeto de terceirização e consequente precarização das relações de trabalho.

O ato contou com a presença da presidente do Sindsemp/MA, Vânia Leal, do coordenador executivo da Fenamp no Maranhão, Valdeny Barros, e de representantes do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal e MPU do Maranhão (Sintrajufe), Sindicato dos Bancários do Maranhão (SEEB/MA), Ministério Público do Estado do Maranhão (MP/MA), Associação dos Advogados Trabalhistas (AMAT), a Associação dos Magistrados do Maranhão (AMMA), Associação dos Magistrados do Trabalho da 16ª Região (Amatra16), Ministério Público do Trabalho (MPT/MA), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MA), Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Maranhão, Defensoria Pública Estadual do Maranhão, dentre outros.

As mobilizações visam alertar para a ameaça de desmonte à Justiça do Trabalho e dos direitos sociais por meio da Reforma Trabalhista, que tramita na Câmara de Deputados desde o mês de dezembro.

Os atos públicos, que mobilizaram trabalhadores em diversos estados do país, também demarcam o lançamento de uma campanha nacional que ressalta a importância da Justiça do Trabalho para a garantia dos direitos de patrões e empregados. Com o lema “Justiça, nosso trabalho”, a campanha é idealizada pelo Colégio de Presidentes e Corregedores dos Tribunais Regionais do Trabalho (Coleprecor).

Com informações de TRT/MA

Verifique também

Eleição para PGJ do MPMA se aproxima sem compromisso dos candidatos para com os servidores

Com a aproximação da eleição para o cargo de Procurador-Geral de Justiça (PGJ) do Ministério …

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.