Ansemp solicita apoio ao PL da negociação coletiva

O PL busca encontrar alternativas para conflitos entre servidores e Administração Pública. (Foto: FreePik)

Nesta segunda-feira (16), a Associação Nacional dos Servidores do Ministério Público (Ansemp) solicitou, por meio de ofício aos deputados federais, a retirada de suas assinaturas do Recurso n° 260/2017, que contesta a aprovação do Projeto de Lei n° 3831/2015, que estabelece normas gerais para a negociação coletiva na administração pública direta, nas autarquias e nas fundações públicas dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios.

O PL, originado no Senado, foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados (CCJ), no dia 26 de setembro, e visa encontrar alternativas para solucionar conflitos entre servidores e a Administração Pública, com o objetivo de evitar a judicialização de demandas e greves.

De acordo com o PL, as negociações poderão ser feitas em temas como  plano de carreira, remuneração, condições de trabalho, planos de saúde, estabilidade e avaliação de desempenho, assim como aposentadoria e benefícios previdenciários.

O pedido protocolado pela Ansemp destaca a importância do Projeto para a democratização nas relações de trabalho no serviço público e pede que este seja sancionado pelo Governo Federal no dia 28 de outubro, como forma de homenagem pelo Dia do Servidor Público.

O Sindsemp/MA encaminhou ofício de igual teor para os parlamentares, reforçando a relevância do projeto.

Acesse aqui o ofício que solicita a retirada de apoio dos deputados no Recurso que contesta o PL n° 3831/2017

Projeto de Lei do Senado à revisão

Relação dos deputados que assinaram o Recurso contra a apreciação conclusiva nas Comissões do PL nº 3831

 

Com informações de Agência Brasil

Verifique também

Convocação – Conselho Fiscal

Conselheiros fiscais, atenção para a convocação! 📌 O Conselho Fiscal do Sindicato dos Servidores do …

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.